• We are available for any custom works this month
  • Main office: Springville center X264, Park Ave S.01
  • Call us (123) 456-7890 - (123) 555-7891

Artig0 #01: Docat Brasil – O grande plano de Deus (o amor)

Artig0 #01: Docat Brasil – O grande plano de Deus (o amor)

Voltar

Postado por master em 10/fev/2021 -

“O mundo foi criado para a glória de Deus” Concílio Vaticano II

 Quando Deus criou o mundo e nos criou, agiu segundo um plano?

Sim. Deus criou o mundo segundo a sua ideia e o seu plano. Assim como alguém pode inventar um jogo, por exemplo o jogo de xadrez, e com regras criar a sua lógica, assim Deus criou o mundo e pensou o ser humano. O fio condutor de Deus na criação é o amor. Portanto, o plano de Deus é que o homem ame e responda ao seu amor e assim ele próprio pense, fale e atue no amor.

Mas quem é Deus?

Pode dizer-se que Deus é a origem de tudo o que existe. Ele é o fundamento, a causa última de tudo e que tudo sustém. Com base na ciência atual, pode dizer-se: Ele é anterior ao Big Bang e à origem de todas as leis da natureza. Sem Deus, tudo o que existe se desmoronaria. Deus é também o fim para o qual se orienta tudo o que existe.

O que significa Deus para o nosso agir?

Se Deus é o autor de todo os cosmos, então é também a medida de tudo o que deve existir. Toda a ação será medida em relação a Ele e ao seu plano. Nele podemos saber o que é agir bem. Dito de um modo simples: Deus escreveu o DNA da nossa vida. O que Deus quer para nós e conosco é que é a norma e a regra de uma vida boa e justa. Os cristãos agem de um modo solidário, por que já antes Deus agiu neles amorosamente.

O que não estava no meu plano, estava no plano de Deus. E quanto mais algo vier ao meu encontro, tanto mais viva se torna em mim a convicção da fé de que – visto à luz de Deus – nada me acontece por acaso” Santa Edith Stein (1891-1942) filósofa judia-alemã, vítima num campo de concentração, ser finito e eterno (1935/36)

Pode fazer-se a experiência de Deus?

Se refletires sobre ti mesmo, depressa vais perceber que não te fizeste a ti mesmo. Ninguém te perguntou se querias na realidade existir ou não. De repente estavas aí. O que seguir descobres é que afinal existes. Hoje, amanhã ou depois de amanhã, a tua vida chegará ao fim. Mesmo tudo aquilo que está à tua volta, algum dia, também deixará de existir. Apenas disso, tu podes pensar o Infinito: algo que existe, mais que nunca passará. Mesmo se tu estás envolvido exclusivamente por coisas passageiras, sentes o desejo daquilo que é infinito e eterno. Tu desejas que algo de ti permaneça. Como seria triste se todo o mundo tão belo não passasse de um registro momentâneo, que brilhasse sem sentindo e que de novo mergulhasse no nada.
Somente se Deus realmente existe, é que podemos estar junto dele em segurança. E o mesmo se diga a respeito de toda a criação. A ideia e a saudade de Deus pertencem à natureza humana. O desejo do infinito e do absoluto encontra-se em todas as culturas.

 

Trechos retirados do livro “DoCat Brasil – Como Agir?” (p.16-18)
 

 

 

 

 

EnglishGermanPortugueseSpanish